Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Está Tudo Tratado e Nada Resolvido

Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm opiniao...

Está Tudo Tratado e Nada Resolvido

Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm opiniao...

Descoberta a identidade de Jack the Ripper?



Uma análise de ADN pode ter revelado a verdadeira identidade de Jack, o Estripador, o serial killer responsável por, pelo menos, cinco assassinatos em Londres em 1888.

Um xaile encontrado junto ao corpo de Catherine Eddowes, uma das vítimas do criminoso, continha o ADN dela e do assassino.

A descoberta foi possível depois que o empresário Russel Edwards, ter comprado o xaile num leilão e o entregou a Jari Louhelainen, um especialista em análise genética. Através de análises, Louhelainen conseguiu confirmar a compatibilidade do ADN da vítima e do criminoso, segundo o diário britâncio "Daily Mail".

Com uma câmera de infravermelhos, Louhelainen conseguiu confirmar que as marcas escuras não eram apenas sangue, mas respingos de sangue arterial provocado pelos cortes que causaram a morte de Catherine.

Outra descoberta através da fotografia UV demonstrou manchas com características de esperma. "Eu nunca esperei encontrar evidências do próprio estripador, o que foi emocionante", contou Edwards.

A identidade da vítima foi comprovada com análise comparativa de ADN de uma descendente de Catherine.

Para investigar o esperma encontrado no tecido, o especialista pediu o auxílio de David Miler, outro reputado cientista forense.

O mesmo trabalho de investigação foi feito na procura de um parente do principal suspeito que era Aaron Kosminski, um cabeleireiro polaco que tinha 23 anos à época dos crimes.

No início da década de 1880, ele e sua família mudaram-se para Londres. Kosminski tinha problemas mentais. Após ter sido detido como um dos suspeitos, apesar de nunca ter sido provado o seu envolvimento nos assassínios, passou o resto da vida internado em hospícios.

Edwards localizou uma descendente de uma irmã de Kosminski, Matilda. Ela aceitou dar uma amostra de seu ADN para a investigação. Segundo as análises de Louhelainen e Miler, o exame garante com grande percentagem de certeza a identificação do criminoso.

"Agora que acabou, estou animado e orgulhoso pelo que conseguimos, e tenhamos garantido no máximo que pudemos, que Aaron Kosminski é o culpado", conta Louhelainen.

Edwards, afirmou estar satisfeito por ter conseguido respostas sete anos após a compra do xaile. "Ele era uma criatura patética, um lunático que alcançava a satisfação sexual ao esquartejar mulheres de forma brutal. Morreu no hospício de Leavesden, de gangrena, aos 53 anos, pesando apenas 44 quilos".

"Eu, certamente, não tinha ideia de que esse frágil, incompleto e extremamente manchado xaile levaria à solução do mais famoso mistério de assassinatos de todos os tempos: a identificação de Jack, o Estripador", afirmou Edwards ao "Daily Mail".

"Não há dúvida de que uma enorme quantidade de livros e filmes surgirão para especular sobre a personalidade e as motivações de Kosminski. Eu não tenho vontade de fazer isso. Eu quis arranjar respostas verdadeiras usando as evidências científicas, e estou impressionado por ter conseguido resolver o mistério 126 anos depois".

Pode não ter resolvido o mistério mas esta visibilidade não irá prejudicar a sua conta bancária.

Edwards para recuperar o investimento, publicou um livro dia 9 de Setembro, onde explica toda a história e os pormenores da investigação. "Naming Jack the Ripper", virá a ser um "best seller" com certeza.

Quanto ao mistério, esse irá permanecer porque o turismo em torno de White Chappel a isso obriga.