Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Está Tudo Tratado e Nada Resolvido

Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm opiniao...

Está Tudo Tratado e Nada Resolvido

Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm opiniao...

E se fosse uma pulseira electrónica?

Tenho estado a observar que subsistem muitas duvidas acerca da integridade ética e moral de um ex-Primeiro Ministro.

Penso que só temos uma forma de assegurarmos a sua completa inocência nos alegados delitos de que é acusado: Constitui-lo arguido em cada um dos casos e julgá-lo.

Uma fez que o suspeito e eventual arguido finalmente vai tirar um curso, aconselho o Ministério Publico a não o privar de liberdade por perigo de fuga ou ocultação de provas.

Proponho que lhe sejam aplicadas as medidas cautelares menos gravosas.

O termo de identidade e residência com apresentação na "Gendarmie" mais próxima no final de cada período escolar, seria o mais indicado.

Desta forma o aluno poderia concluir a sua licenciatura em filosofia na Universidade francesa que frequenta.

Na apresentação periódica ás autoridades teria de exibir as notas do respectivo semestre, para nos podermos certificar do seu bom aproveitamento. Claro que os documentos a exibir deverão ser devidamente autenticados.

E se fosse uma pulseira electrónica? Como medida preventiva adicional poderia ser bastante útil. As braceletes deverão ser de varias cores (à escolha do arguido) para fazerem conjunto com o fato.

Recordo que no caso do Dr. Duarte Lima não houve esse cuidado porque, segundo consta, havia um efectivo perigo de fuga. Sabe-se agora que tinha tudo preparado para ir fugir para o Quatar.

Nesta situação esse problema não se coloca, a fuga seria só até Gibraltar.

Comece-se a julgar e acabe-se de vez com as suspeitas...Não é justo alguém viver assim.